27 de junho de 2010

Resgate

Do pó vim da casa do Pai
que me modelou de matéria viva.
Soprou-me aos ouvidos renascidos:
-Vá filha, que a vida lhe é sua.

Fez-me montanha
filha das Alterosas,
tornou-me Sua herdeira
de amor cantado em verso e prosa.

Fez-me ilha
rodeada de mar aberto
Chamou-me de Vitória
Maria das minas de sal e ferro.

Resgatou-me do mar
Bentito Pai, que acolhe filha
trouxe-me do nada e
deu-me tudo para a vida.

Um comentário:

Marcelo Portuária disse...

Versos estimados. Carregam a naturalidade e a sensivel maneira de ser capixaba. Traduzem uma geografia poética e um valor humano belo e transcendente.

Avançai poetiza!

Marcelo Portuária

Visite: alfarrabiosdeoutrora.blogspot.com
cidadaniadoscapitais.blogspot.com